segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Arqueólogos descobrem cidade de 7 mil anos no Egito

Cidade residencial e cemitério datados de 5316 a.C. são encontrados nas proximidades de Abidos, na província de Sohag. Novidade pode ajudar a recuperar o turismo no país.



O templo do faraó Seti I, pai de Ramsés II, em Abidos, no Egito


Não se trata de uma única escultura ou tumba. Arqueólogos egípcios anunciaram nesta quarta-feira (23/11) a descoberta de partes do que pode ter sido uma verdadeira cidade residencial do Egito antigo, datada de 5.316 antes de Cristo.

Os vestígios foram encontrados a cerca de 400 metros ao sul do templo do faraó Seti 1º, em Abidos, na província de Sohag, a 390 quilômetros ao sul do Cairo. Abidos é uma das mais antigas cidades egípcias e que teria sido capital na era pré-dinástica e nas primeiras quatro dinastias.

Na cidade há um enorme cemitério, com pelo menos 15 túmulos grandes, diversos objetos decorativos de cerâmicas ou de uso cotidiano e estruturas que provavelmente serviam de moradia para quem vivia lá, possivelmente pessoas encarregadas da construção de cemitérios da família real em Abidos.

"O tamanho desses túmulos é maior do que os encontrados em Abidos, datados da primeira Dinastia. Isso leva a crer que as pessoas sepultadas no local pertenciam a uma hierarquia social muito alta", afirmou o ministro das Antiguidades do Egito, Mahmoud Afifi.

O chefe da missão arqueológica, Yasser Mahmoud Hussein, disse que "os túmulos (com forma de mastaba) são únicos em seu estilo arquitetônico, já que contêm mais de um nível, e alguns chegam a ter até quatro".

Afifi destacou a importância da descoberta, já que é possível que os objetos encontrados revelem novas informações sobre a história da cidade de Abidos.

Além de ampliar os conhecimentos sobre a civilização egípcia, a cidade recém-descoberta pode ajudar a aumentar o turismo no país.

Em 2010, o Egito recebeu cerca de 14,7 milhões de turistas. Após a queda do ex-ditador Hosni Mubarak, em 2011, o turismo no país começou a cair drasticamente. No ano passado, um ataque terrorista matou 224 turistas que sobrevoavam o Mar Vermelho a bordo de um avião russo, reforçando a imagem de insegurança do país.

Nos primeiros três meses de 2016, o Egito recebeu apenas 1,2 milhão de turistas. No mesmo período de 2015, esse número chegava a 2,2 milhões. As autoridades egípcias esperam que a novidade dê um novo rumo a essas estatísticas.

NT/rtr/afp/efe/ots

sábado, 26 de novembro de 2016

Russell Phillip Shedd: uma vida de amor à Palavra de Deus




Russell Phillip Shedd: uma vida de amor à Palavra de Deus

Com enorme pesar, informamos que nosso fundador e presidente emérito, o dr. Russell Phillip Shedd, faleceu na madrugada de hoje.

O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. Haverá um culto às 10h deste domingo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) às 14h no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.

Juntamente com a igreja brasileira, lamentamos profundamente a perda deste servo valoroso, que deixará uma lacuna irreparável. Ainda assim, alegramo-nos no Senhor por saber que ele, tal como o Apóstolo Paulo, combateu o bom combate, terminou a carreira, guardou a fé e tem reservada para si a coroa da justiça.

Fiel mensageiro da Palavra, o dr. Shedd foi incansável em seu ministério, tendo percorrido todo o Brasil como conferencista e professor, pregando e palestrando em congressos, igrejas, seminários e faculdades de Teologia. Foi exemplo extraordinário de uma vida de amor à Palavra. A literatura e o ensino teológicos no Brasil devem muito à incansável, inspiradora e comovente dedicação desse grande servo de Deus.

Ele deixa a esposa, dona Patricia Shedd, com quem foi casado por 59 anos, além de 5 filhos (Timothy, Nathanael, Pedro, Helen e Joy), 14 netos (Laura, Kelley, Rebecca, Katherine, Leander, Cayenne, Henry, Jonathan, Michael, Stephanie, Evelyn, Scott, Susan e Katie) e uma bisneta (Izabella).

O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.

Em breve daremos mais detalhes.

Um breve relato da vida e da obra de Russell Shedd

Russell Phillip Shedd nasceu em Aiquile, pequena cidade boliviana, no ano de 1929. Aos dez anos de idade, já falava espanhol, inglês e aprendera também o dialeto local. A semente de seu amor à Palavra germinou já na mais tenra infância, quando o menino acompanhava os pais, Leslie e Della Shedd, ambos missionários, em percursos evangelísticos pelas aldeias da Bolívia.

No início da adolescência, volta com os pais e irmãos para os Estados Unidos e cursa o segundo grau em duas instituições: Westervelt Home e Wheaton College Academy. Depois disso, a profunda sede pelo conhecimento da Palavra leva o jovem Shedd a uma intensa jornada de cursos. Primeiro, estuda Teologia no Wheaton College, onde recebe o grau de bacharel com especialização em Bíblia e Grego. Depois, decide fazer um mestrado em estudos do Novo Testamento na Wheaton College Graduate School. Muda-se então para o estado da Filadélfia e matricula-se no Faith Seminary, onde adquire o título de mestre em Teologia, em 1953. Dois anos depois, aos 25 anos de idade, conquista o grau de doutor em Filosofia (PhD) na renomada Universidade de Edimburgo, na Escócia. Em 1955, volta para os Estados Unidos e aceita o cargo de professor no Southeastern Bible College, em Birmingham, no estado do Alabama, onde conhece uma aluna, Patricia Dunn, com quem viria a se casar em 22 de junho de 1957.

Tendo os olhos e o coração voltados para a obra missionária, em 1959 o jovem casal é enviado pela Conservative Baptist Foreign Mission Society (CBFMS) para Portugal. Ali, Russell Shedd recebe com grata satisfação o encargo de acompanhar um ministério de literatura em formação. Denominado “Edições Vida Nova”, esse ministério fora fundado com o propósito de fornecer textos teológicos básicos e obras de referência bíblica para estudantes, professores e pastores.

Passados três anos, Russell Shedd e os demais missionários notaram que o programa de publicações sofria duas sérias limitações: os altos custos de impressão e a baixa e lenta demanda dos livros na minúscula comunidade evangélica portuguesa. Após muitas orações e deliberações, os olhos dos missionários voltam-se para um país do outro lado do Atlântico, com uma comunidade evangélica maior e em franco crescimento, contando ainda com a possibilidade de baixos custos na produção editorial. O plano inicial era que Russell Shedd ficasse dois anos no Brasil com o objetivo de implantar uma ação editorial em São Paulo e depois voltasse para Portugal.
Em agosto de 1962, o casal Shedd chega ao Brasil, onde permanece, sem retornar a Portugal, e onde Russell Shedd passa a ensinar e a inspirar amor à Palavra de Deus, dando continuidade ao ministério de Edições Vida Nova. Ele sempre se dedicou de corpo e alma ao estudo e ao ensino das Escrituras, seja na área do ensino teológico, seja na área de publicação de livros evangélicos que facilitassem a compreensão e o conhecimento das Escrituras, sendo mais de 25 deles de sua autoria. Por muito tempo esteve à frente do ministério de Edições Vida Nova e, embora há vários anos tivesse passado a presidente emérito, jamais deixou de amar e participar dessa obra. Também atuou como consultor da Shedd Publicações. Sua influência perdura até hoje mesmo depois de aposentado, sendo um ativo influenciador de líderes e membros da igreja brasileira.

Na Faculdade Teológica Batista de São Paulo foi professor de Novo Testamento e diretor do Departamento de Novo Testamento e Exegese. Lecionou também em outras renomadas instituições ao redor do mundo.

Somos profundamente gratos a Deus pela forma maravilhosa em que usou o dr. Shedd para influenciar e impactar a todos a quem ele teve a oportunidade de discipular, usando-o também por meio de aulas e palestras e dos muitos livros escritos ou editados por ele. Com certeza, seu exemplo e ensino serão seguidos por muitos anos. Todos os que o conheceram só podem dizer, juntamente com ele, Soli Deo gloria!

domingo, 13 de novembro de 2016

OMS: suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo

No Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10 de setembro), a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OMS) alertaram para este grave problema de saúde pública responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo. Segundo a organização, poucos países incluíram a prevenção ao suicídio entre suas prioridades de saúde e só 28 relatam possuir uma estratégia nacional para isso.



Suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Foto: EBC

No Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10 de setembro), a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OMS) alertaram para este grave problema de saúde pública responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo.

Em comunicado, a OPAS/OMS reconheceu o suicídio e as tentativas de suicídio como uma prioridade na agenda global de saúde e incentivou os países a desenvolver e reforçar estratégias de prevenção, quebrando estigmas e tabus existentes sobre o assunto.

Segundo dados de 2012 da agência da ONU, mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos no mundo, sendo a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Setenta e cinco por cento dos suicídios ocorrem em países de baixa e média renda.

“Para cada suicídio, há muito mais pessoas que tentam a cada ano. A tentativa prévia é o fator de risco mais importante para o suicídio na população em geral”, disse a organização.

A ingestão de pesticida, enforcamento e armas de fogo estão entre os métodos mais comuns de suicídio em nível global.

“Trata-se de um grave problema de saúde pública; no entanto, os suicídios podem ser evitados em tempo oportuno, com base em evidências e com intervenções de baixo custo”, disse a OPAS/OMS.

“Embora a relação entre distúrbios suicidas e mentais (em particular, depressão e abuso de álcool) esteja bem estabelecida em países de alta renda, vários suicídios ocorrem de forma impulsiva em momento de crise, com um colapso na capacidade de lidar com os estresses da vida – tais como problemas financeiros, términos de relacionamento ou dores crônicas e doenças”, afirmou a agência.

Além disso, enfrentamento de conflitos, desastres, violência, abusos ou perdas e um senso de isolamento estão fortemente associados com o comportamento suicida.

As taxas de suicídio também são elevadas em grupos vulneráveis que sofrem discriminação, como refugiados e migrantes; indígenas; lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais (LGBTI); e pessoas privadas de liberdade. De longe, o fator de risco mais relevante para o suicídio é a tentativa anterior, disse a organização.

Segundo a OPAS/OMS, os suicídios podem ser evitados com uma série de medidas que podem ser tomadas junto à população, subpopulação e em níveis individuais.

Entre as medidas está a redução de acesso aos meios utilizados; a introdução de políticas para reduzir o uso nocivo do álcool; identificação precoce, tratamento e cuidados de pessoas com transtornos mentais ou por uso de substâncias, dores crônicas e estresse emocional agudo; entre outras.

“O suicídio é uma questão complexa e, por isso, os esforços de prevenção necessitam de coordenação e colaboração entre os múltiplos setores da sociedade, incluindo saúde, educação, trabalho, agricultura, negócios, justiça, lei, defesa, política e mídia”, disse a organização.

O estigma, particularmente em torno de transtornos mentais e suicídio, faz com que muitas pessoas que estão pensando em tirar suas próprias vidas ou que já tentaram suicídio não procurem ajuda e, por isso, não recebam o auxílio que necessitam, disse a OPAS/OMS.

“A prevenção não tem sido tratada de forma adequada devido à falta de consciência do suicídio como um grave problema de saúde pública. Em diversas sociedades, o tema é um tabu e, por isso, não é discutido abertamente”, salientou.

Até o momento, apenas alguns países incluíram a prevenção ao suicídio entre suas prioridades de saúde e só 28 países relatam possuir uma estratégia nacional para isso. Sensibilizar a comunidade e quebrar o tabu são ações importantes aos países para alcançar progressos na prevenção do suicídio, disse a organização.

Assediada por professor de Direito, jovem comete suicídio

Ariadne Wojcik acusou seu ex-professor de assédio quando começou a trabalhar em seu escritório. O corpo da jovem foi encontrado no dia 9 de novembro.

Jovem deixa mensagem denunciando assédio por professor da UnB e comete suicídio

Ariadne Wojcik era uma jovem de 25 anos, bacharel em Direito pela UnB. Seu corpo foi encontrado na tarde do dia 9 de novembro, quarta-feira, na Chapada dos Guimarães, próximo a Cuiabá, Mato Grosso. Em seu perfil no Facebook, Ariadne deixou uma mensagem preocupante, contando sobre como sofria com o assédio do chefe, seu ex-professor no curso de Direito.

Segundo a jovem, o assédio começou quando ela conseguiu um estágio no escritório do procurador Rafael Santos de Barros e Silva, que lhe mandava mensagens constantes e lhe dava presentes, tendo passado a persegui-la após o divórcio. Ariadne chegou a pedir demissão do estágio e se mudar para Cuiabá, onde foi, inclusive, nomeada para cargo no TJMT um dia antes de sua morte. Mesmo se mudando, voltou a ser procurada pelo ex-professor, e, ainda de acordo com sua postagem no Facebook, não encontrava mais saída daquela que descreveu como uma "situação de abuso insustentável". No texto, são citados nomes de colegas que sabiam o que estava acontecendo.

O procurador denunciado por Ariadne negou que tenha cometido qualquer tipo de assédio, alegando que a jovem sofria de problemas psiquiátricos. Em declaração ao jornal Metrópoles, disse que recebeu e-mails após a saída de Ariadne do escritório do qual é proprietário, nos quais ela afirmava que estava sendo perseguida por ele, e que comunicou a situação à diretoria da Faculdade de Direito. O diretor Mamede Said, no entanto, disse não ter conhecimento da informação, afirmando saber apenas que Rafael teve uma conversa informal com o coordenador do curso de graduação.

O caso está sendo investigado e o que se sabe, até agora, é que Ariadne havia sido diagnosticada com um quadro de depressão profunda. Ainda em sua mensagem deixada na rede social, ela afirmou que estava sendo vítima de "uma mente brilhantemente psicopática e narcisista determinada" e que se sentia exausta.

É impossível tirar quaisquer conclusões sobre o que de fato se passou, mas o texto traz um alerta importante sobre como, não raro, ignoramos o sofrimento psíquico daqueles que se encontram próximos a nós até que seja tarde demais. Tendo sido perseguida ou não, Ariadne precisava de atenção, mas preferiu se fechar por medo do estigma - fator que é responsável por tirar a vida de muitas pessoas.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Jovem que acusa Marco Feliciano de abuso é indiciada por extorsão


O delegado titular do 3º Distrito Policial de São Paulo, Luiz Roberto Hellmeister, indiciou formalmente nesta quinta-feira a jornalista Patrícia Lelis, de 22 anos, por suspeita de denunciação caluniosa e extorsão. Segundo o delegado, a jovem mentiu em depoimento ao dizer que foi ameaçada e mantida em cárcere privado pelo assessor parlamentar do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), Talma Bauer, que foi exonerado do cargo após envolvimento no caso. Hellmeister afirmou ao site de VEJA que ao final do inquérito pedirá a prisão preventiva de Patrícia.

O inquérito conduzido pelo 3º DP apura somente as denúncias feitas por Patrícia contra o assessor parlamentar, que é investigador de polícia aposentado. No dia 5 de agosto, ele chegou a ser preso, mas logo foi liberado após negar o ocorrido. Em outro inquérito instaurado em Brasília, a jornalista acusa Marco Feliciano de assédio, tentativa de estupro e agressão. “Ela inventou a história de sequestro aqui em São Paulo. Agora, se houve estupro ou não, isso está em Brasília”, disse o delegado.

No 3º DP, Patrícia registrou um boletim de ocorrência, dizendo ter sido coagida por Bauer durante uma semana no Hotel San Raphael, no centro de São Paulo. Segundo ela, o assessor de Feliciano estava a ameaçando para colocar um ponto final nas denúncias. Os investigadores, no entanto, reuniram videos e fotos que mostram Patrícia e Bauer em momentos de descontração no saguão do hotel e em restaurantes — as despesas da hospedagem foram pagas pelo assessor. O depoimento do namorado da jovem, Rodrigo Simonsen, também foi considerado crucial pelo delegado para derrubar a versão de Patrícia. Nesta quinta, ele relatou à polícia que dormiu quatro noites com ela no hotel no mesmo período em que a jovem disse estar em cárcere privado. 

A Polícia Civil ainda levantou provas de que Patrícia pediu 50.000 reais a Bauer para ficar em silêncio sobre os supostos abusos cometidos por Feliciano. Uma quantia de 20.000 reais chegou a ser paga em espécie. Inicialmente, o assessor de Feliciano negou o pagamento, mas, diante das evidências, acabou admitindo que o fez para que ela parasse de acusar o deputado. Em depoimento à polícia, Bauer disse que o dinheiro saiu das suas contas pessoais — ele ganhava 20.000 reais como assessor parlamentar e 7.000 reais como investigador particular. O delegado entendeu que não houve crime da parte dele.

Segundo depoimento da jovem, o crime de estupro, que é investigado em Brasília, ocorreu no apartamento funcional de Feliciano, na manhã do dia 15 de junho, na capital federal. O deputado nega o crime.

Fonte: Veja.com

América Latina terá mais de 202 milhões de evangélicos até 2025, aponta estudo


Dezenas de milhares de católicos latino-americanos estão sendo tocados pela revelação de quem Jesus Cristo realmente é. Ao visitar Bogotá, capital da Colômbia, a editora da revista americana Charisma, Jennifer LeClaire, pôde presenciar essa realidade.

Ela esteve em um culto liderado pelos pastores Ricardo e Patricia Rodríguez, fundadores da Central Mundial de Avivamiento. “Era como se eu estivesse entrando num rio de fogo do Espírito Santo”, LeClaire descreve. “Mais de 25 mil pessoas adoravam a Jesus com tudo o que estava dentro delas.”

Segundo LeClaire, avivamentos semelhantes estão acontecendo em muitos outros países da América Latina, como Brasil, Peru, Uruguai e Equador.

Um estudo desenvolvido pela Pew Research aponta que, nas últimas décadas, milhões de latino-americanos deixaram a Igreja Católica para fazerem parte da Igreja Evangélica. Até 2025, o estudo projeta que o número de pentecostais na América Latina vai ultrapassar 202 milhões.

De acordo com Samuel Rodriguez, presidente da Conferência Nacional de Liderança Cristã Hispânica, os latinos formam a maioria dos seguidores de Cristo em todo o mundo.

“Mesmo nos Estados Unidos, a maioria dos seguidores de Cristo serão de descendência latina em 2030”, projeta Rodriguez. “Esta é a nossa reforma. Há setenta anos, a maioria dos latino-americanos eram católicos.”

Peter Wagner, presidente do Ministério Global Harvest e ex-missionário na Bolívia, também destacou o surgimento de um número esmagador de igrejas pentecostais, no qual ele atribui a um movimento do Espírito Santo.

“Muitos nunca foram treinados num seminário, muitos vêm do mundo dos negócios”, disse Wagner. “Essas pessoas têm multiplicado mega-igrejas nas áreas metropolitanas. Poucos são liderados por pessoas foram à escola teológica”.

O evangelista Lee Grady, que também já foi editor da revista Charisma, diz que há um movimento de Deus varrendo muitas partes da América Latina. “Eu ainda não conheci um lugar, dentro das grandes áreas metropolitanas de lá, que não tenha sido tocado pela efusão do Espírito Santo”, afirma. 

Fonte: JM Notícia com informações de The Christian Today via Guia-me

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Teria sido Abraham Lincoln um batista regular?



Fonte: The Baptist Bulletin Magazine on May 2, 2008.

Artigo original: WHO KNEW? ABE LINCOLN WAS A REGULAR BAPTIST?

Em 1921, um artigo do New York Times apresenta uma evidência das raízes religiosas de Abraham Lincoln, dizendo que ele havia sido criado na fé simples de uma igreja batista “casca grossa”. Os historiadores amam detalhes como este, devido ao fato das crenças religiosas de Lincoln serem bastante ambíguas. Até à idade adulta, a sua própria vida parecia repleta de nuances contraditórias sobre sua vida devocional.

O Times de 1921,, trata de antigos registros da pequena Igreja Batista Pigeon, e os chamou de “o elo perdido da religião de Abraham Lincoln."

O artigo descreve os pais de Abraham Lincoln como “vivendo como os pioneiros de seus dias: com forte repertório ancestral, possuíam fazenda, animais domésticos, boas ferramentas, e uma Bíblia da família; e eram membros nativos de uma igreja local. Thomas Lincoln e Nancy Hanks foram casados por um pastor metodista conhecido por Jesse Head, mas pouco tempo depois eles estavam filiados a uma das igrejas da Associação Batista de Licking-Locust, associação das Igrejas Batistas Regulares do Kentucky. Quando a mãe, Mary Hanks Lincoln, veio a falecer, o pai Thomas se casou novamente, mudou-se para Indiana e filiou-se à Igreja Batista Pigeon Creek por carta.

Por isso, é correto dizer que Lincoln foi criado entre as igrejas batistas regulares do Kentucky e Indiana (apelidadas de igrejas "casca grossa" ou o uso do termo "primitivas"). Mas nada se sabe dele ter feito uma profissão de fé pública. Lincoln frequentava a igreja, mas, aparentemente, nunca tronou-se membro de uma. Embora costumasse ler a Bíblia na Casa Branca, não costumava agradecer antes das refeições.

No livro A História do Cristianismo dos Estados Unidos e Canadá, o historiados Mark Noll observa que, após a morte de Lincoln, foi irresistível para os americanos verem os acontecimentos sob uma luz religiosa. Logo ligaram que Lincoln, o “salvador” da União foi assassinado com um tiro, em uma sexta-feira (14 de abril de 1865), que seus esforços para libertar os escravos e curar as feridas de guerra foram interrompidas pelo “martírio”, e que o nome próprio Abraham (Abraão) colocara-o como pai de seu próprio povo.

Não nos surpreende que várias descrições como estas ainda circulam na Internet. Algumas delas divulgam uma suposta conexão numérica entre Lincoln e John F. Kennedy. Não nos surpreende que o vazio de informação precisa sobre a religião de Lincoln tem sido preenchida com descrições tão esperançosas que estão na fronteira do mundo mágico.

Mark Noll sugere boas razões pelo fato de sabermos pouco sobre as crenças adultas de Lincoln: "Provavelmente virou-se contra o Cristianismo organizado por suas experiências jovens em Nova Salem, Illinois, onde a emoção excessiva e as amargas disputas sectárias dos ministérios de pregadores itinerantes aconteciam e ele não quis ser identificado como tais. No entanto, embora Lincoln não fosse membro da igreja, refletiu o significado eterno de suas próprias circunstâncias: uma vida pessoal marcada pela tragédia, a morte prematura de dois filhos, e a dificuldade da instabilidade mental ocasional de sua esposa. Ele conduziu uma guerra sangrenta com grande responsabilidade.”

Para ler mais: The Religious Affiliation of  President Abraham Lincoln

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Pastor brasileiro envia mensagem a Obama e se surpreende ao receber resposta

O pastor e empresário paulista Bruno Garcia, 36, viu o alerta em seu relógio da Apple: "E-mail da Casa Branca". Achou que era propaganda. Era o presidente Barack Obama.

"Querido Bruno", começava a mensagem enviada na segunda-feira (8) pela equipe do mandatário e assinada por Obama, com timbre de sua residência.

"Suspeito que mais do que minha Presidência, são o otimismo e o trabalho duro de pessoas como você que mudaram nosso país para melhor", dizia o texto. Compartilhada por Garcia no Facebook, a resposta viralizou na internet.




Há duas semanas, o paulista entrou no site da Casa Branca e selecionou a opção "fale com o presidente". Tinha acabado de assistir ao discurso de Obama na convenção democrata, na Pensilvânia, e gostou do que viu.

"Ele dizia que entregaria o país melhor do que quando chegou. Vivi todos os oito anos do governo dele. Aí disse: sr. presidente, tudo o que falou é verdade", afirma à Folha.

"Como imigrante, quero agradecer pela oportunidade, pelo respeito e por ter me aberto as portas." Garcia e a mulher, a bióloga Gisele, 40, mudaram-se para Parkland (Flórida), cidade vizinha a Miami, em 2007, princípio da crise americana e época de bonança brasileira.

A vida no país natal era boa, "com casa própria", mas o sonho de morar nos EUA falou mais alto. O começo não foi fácil. Ele não falava inglês muito bem e sentiu na pele "a subvalorização e o preconceito" de ser um latino na nova casa.

Trabalhou numa empresa de detetização e, sem domínio do idioma, passou sufoco no primeiro mês de trabalho. "Fui jogar veneno numa janela, e o exaustor do ar-condicionado ligou. Um pouco do spray voou na janela de uma mansão", lembra. "O técnico da dedetização, americano filho de italianos, soltou um palavrão sonoro... 'Esses malditos latinos'."

Depois, estudou na Universidade Metropolitana da Flórida, aprendeu inglês e montou seu próprio negócio: um lava-jato.

"Eu, que não lavava nem meu próprio carro no Brasil, passava de casa em casa nas mansões de Boca Raton [cidade da Flórida] para fazer polimento em domicílios."

Pastor da igreja evangélica Renascer em Cristo, conciliou o atendimento espiritual a famílias locais com novo empreendimento, uma agência de turismos que abriu em Miami –entre os clientes brasileiros, o pastor e senador Magno Malta (PR-ES) e o funkeiro MC Biel.

Em 2011, a família trocou a Flórida por Nova York, cidade natal de um possível sucessor de seu ídolo político, Obama.

A retórica anti-imigração do presidenciável republicano, Donald Trump, dá calafrios em Garcia, que ainda busca se naturalizar no país onde nasceram suas três filhas: Giulia, 8, Caroline, 6, e Gabrielle, 2.

"A loucura dele é perigosa. Traz um discurso de divisões, e isso não cabe a um país tão eclético, tão culturalmente denso e importante para a paz no mundo."

O mais provável é que a carta que Obama lhe enviou tenha sido escrita por um assessor. Garcia diz que não liga. "Me senti honrado. Pode ser que muitos não deem o devido valor, mas os EUA onde vivo hoje são muito melhores do que o país no qual cheguei nove anos atrás."

Ainda que de forma velada, a missiva do presidente tem um quê eleitoral e faz crítica discreta ao rival da candidata de seu partido à Casa Branca, a democrata Hillary Clinton.

A estratégia de Trump vem sendo retratar uma nação à beira do precipício econômico e cercada de inimigos externos, do imigrante latino que rouba empregos ao terrorista islâmico que explode bombas.

Escreveu Barack a Bruno: "A América ainda enfrenta muitos desafios, e nosso sucesso não é inevitável. Ele vai depender de todas as pessoas levantando suas vozes, rejeitando a noção cínica de que progresso não é possível e garantindo que nossa política reflita o melhor de nós".

Fonte: Folha de São Paulo

Eike Batista se converte a Cristo, diz jornal

“Eike Batista aceitou Jesus o diabo perdeu”




pastor orando e pedindo a Deus para escrever o nome de Eike no Livro da Vida. Foto: Reprodução

Eike Batista, famoso empresário brasileiro que fez e perdeu fortuna na exploração de mineração, petróleo, entre outros, se converteu ao evangelho na noite dessa segunda-feira (8).

De acordo com publicação do site BHAZ, o fato aconteceu na Assembleia de Deus, em Rocha Miranda, subúrbio do Rio de janeiro e foi fotografado e filmado por fiéis que testemunharam sua conversão.


“Eike Batista aceitou Jesus o diabo perdeu”, escreveu na postagem o pastor Daniel Silva.

Uma fiel da igreja – e agora sua irmã em Cristo – postou no Facebook que viu “Eike batista aceitando Jesus”, escreveu.

No vídeo é possível ver o pastor orando e pedindo a Deus para escrever o nome de Eike no Livro da Vida, oração comum feita quando uma pessoa confessa cristo como Salvador.

Buscando alguma declaração de Eike em suas redes sociais sobre um importante acontecimento desse em sua vida, não foi encontrado nada ainda.

O vídeo foi publicado no Facebook do pastor Daniel Silva no final da noite desta segunda-feira, 08.

O JM Notícia entrou em contato com o pastor Daniel Silva, mas até o fechamento desta matéria não recebeu o retorno.

Assista ao vídeo AQUI

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

"Porque não sou comunista" por Bertrand Russell

Texto traduzido por André Assi Barreto


Bertrand Russell (1872-1970). 
Filósofo, lógico, matemático, historiador e crítico social.


Embora Russell, o filósofo e matemático inglês, tenha flertado com o comunismo em parte de sua vida, chegou à conclusão que todo adulto normal chega mais cedo ou mais tarde: o comunismo não é uma posição intelectual racional. Retirado daqui, traduzi este pequeno texto de Russell, onde ele aponta as razões pelas quais rejeitou o comunismo:

Por que não sou comunista?


“Fico completamente perdido ao tentar compreender como é possível que pessoas que são tanto humanas quanto inteligentes podem encontrar algo para admirar no vasto campo escravagista produzido por Stalin”

Com relação a qualquer doutrina política, existem duas questões a serem feitas: (1) seus princípios teóricos são verdadeiros? (2) Suas medidas práticas dão margem ao aumento da felicidade humana? Penso que as premissas teóricas do comunismo sejam falsas e que suas máximas práticas produzem um incomensurável aumento da infelicidade humana.

As doutrinas teóricas do marxismo são, em sua maioria, derivadas de Marx. Minhas objeções a Marx são de dois tipos: uma, que ele era um sujeito obscuro, outra, que seu pensamento foi quase que totalmente inspirado pelo ódio. A doutrina da mais-valia, que supostamente demonstra a exploração dos assalariados sob o capitalismo, origina-se de: (a) sub-repticiamente aceitar a teoria da população de Malthus, que Marx e seus discípulos sempre repudiaram; (b) aplicar a teoria de Ricardo do valor dos salários, mas não dos preços dos artigos manufaturados. Ele está inteiramente satisfeito com o resultado, não porque está de acordo com os fatos ou porque é logicamente coerente, mas porque é feito para despertar a fúria nos assalariados. A doutrina de Marx de que todos os eventos históricos foram motivados por conflitos de classe é superficial e inverídico, se limita a certos traços da Inglaterra e da França de 100 anos atrás. Sua crença de que existe uma força cósmica chamada Materialismo Dialético, que governa a história humana independentemente da volição dos homens, é mera mitologia. Seus erros teóricos, entretanto, não importariam tanto se não fosse verdade que seu desejo maior, tal como o de Tertuliano e Carlyle, era ver seus inimigos punidos, pouco se importando com o que aconteceria com seus amigos no processo. 

A doutrina de Marx já era ruim o suficiente, mas seu desenvolvimento sob a tutela de Lenin e Stalin fez dela algo ainda pior. Marx havia ensinado que haveria um período revolucionário transitório, seguido da vitória do proletariado em uma guerra civil e que durante esse período, o proletariado, de acordo com a prática comum após uma guerra civil, privaria seus inimigos de poder político. Este período é o da ditadura do proletariado. Não deve ser esquecido que na visão profética de Marx, a vitória do proletariado viria após ela ter crescido a ponto deste se tornar a vasta maioria da população. A ditadura do proletariado, logo, na concepção de Marx, não era essencialmente anti-democrática. Na Rússia de 1917, entretanto, o proletariado era uma porcentagem pequena da população, sendo que a maioria era formada por camponeses. Fora declarado que o partido Bolchevique era a classe pensante do proletariado e que um pequeno comitê dele era a classe pensante do partido Bolchevique. Assim, a ditadura do proletariado veio a ser a ditadura de um pequeno comitê, e em última instância, de um homem – Stálin. Como o único proletário pensante, Stálin condenou milhões de camponeses a morrerem de fome e outros milhões a trabalhos forçados em campos de concentração. Ele foi longo o suficiente que as leis da hereditariedade seriam diferentes daquilo que realmente são e que a ideia do germoplasma obedece aos decretos soviéticos e não ao padre reacionário chamado Mendel. Fico completamente perdido ao tentar compreender como é possível que pessoas que são tanto humanas quanto inteligentes podem encontrar algo para admirar no vasto campo escravagista produzido por Stalin.

Sempre discordei de Marx. Minha primeira crítica severa a ele foi publicada em 1896. Mas minhas objeções ao comunismo moderno vão além das minhas objeções a Marx. É o abandono da democracia que considero particularmente desastroso. Uma minoria que deposita seus poderes em atividades de uma polícia secreta está determinada a ser cruel, obscurantista e opressiva. Os perigos do poder irresponsável vieram a ser reconhecidos durante os séculos dezoito e dezenove, mas eles esqueceram tudo que fora dolorosamente aprendido durante os dias da monarquia absolutista e retornaram ao que havia de pior na Idade Média, sob a curiosa ilusão de que estavam na vanguarda do progresso.

Existem indícios que, com o decorrer do tempo, o regime russo se tornará mais liberal. Porém, embora isso seja possível, está longe de ser algo certo. Enquanto isso, todos aqueles que valorizam não apenas a arte e a ciência, mas uma quantidade suficiente de pão - além da liberdade do medo de que uma palavra sem importância seja dita por uma de suas crianças para um professor e isso possa condená-lo a trabalho forçado na Sibéria, estes devem fazer o que está em seu poder para preservar seus próprios países de tal forma de vida servil, buscando uma outra mais próspera.

Existem aqueles que, oprimidos pelos males do comunismo, são levados à conclusão que o único meio eficaz de combater esses males é por meio de uma guerra mundial. Penso que isso seja um erro. Em alguma época, isso pode ter sido possível, mas agora a guerra se tornou tão horrível e o comunismo tão poderoso que ninguém pode afirmar o que sobraria após uma guerra mundial, e o que quer que sobrasse provavelmente seria pior que o comunismo atual. Esta previsão não depende dos efeitos inevitáveis da destruição em massa por meio de bombas de hidrogênio e cobalto e, talvez, de pragas engenhosamente propagadas. A forma de se combater o comunismo não é a guerra. O que é preciso, além de tais armamentos, para deter os comunistas de atacar o Ocidente é uma diminuição dos motivos de descontentamento nas partes menos favorecidas do mundo não-comunista. Na maioria dos países da Ásia, há uma pobreza abjeta que o Ocidente deveria aliviar na medida em que está em seu poder fazer isso. Há também uma grande amargura com relação à Europa por parte desses países, devido à dominação insolente. Dever-se-ia lidar com isso por meio de uma combinação de relações pacientes e anúncios dramáticos, renunciando tais resquícios de dominação branca na Ásia. O comunismo é uma doutrina que se alimenta da pobreza, do ódio e dos conflitos. Sua propagação pode ser detida apenas por meio da diminuição dos níveis de pobreza e ódio.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Partido Comunista proíbe o funcionamento de igrejas durante uma semana na China

Autoridades chinesas proibiram que as igrejas da cidade de Hangzhou abram suas portas ou realizem qualquer tipo de programação religiosa durante a semana da Cúpula do G20, que irá acontecer em setembro deste ano (2016). A justificativa do Partido Comunista (governo atual da China) é que tal medida vá “criar um ambiente seguro” para quando os líderes mundiais chegarem à cidade.


Líderes globais estarão na capital da província de Zhejiang para uma reunião anual de dois dias, que será organizada pelo presidente chinês Xi Jinping. As autoridades decretaram um feriado de uma semana para os serviços para reduzir o congestionamento e facilitar a mobilidade do evento, mas os cultos religioso também foram proibidos.

O ‘Global Times’ – tabloide comandado pelo Partido Comunista – disse que reuniões religiosas em grande escala serão proibidas “para criar um ambiente seguro durante os dias da reunião”.

A Radio ‘Free Asia’ (com base nos Estados Unidos) informou que as igrejas não oficiais da cidade também tinham sido proibidas de realizarem suas reuniões.

“Eles estão obrigando também as igrejas domésticas a não se reunirem durante os dias próximos da cúpula do G20”, disse Zhang Mingxuan, presidente da igreja doméstica chinesa‘Alliance’.

Mas há suspeitas que este movimento tenha mais a ver com a repressão do Partido Comunista contra as igrejas de Zhejiang que com a chegada dos líderes mundiais para o encontro do G20.

“Eu não posso entender por que eles fizeram isso … Adorar a Deus não tem nada a ver com a Cúpula do G20”, disse Li Guisheng, um advogado cristão de Direitos Humanos, que acrescentou que o decreto não tem base na lei chinesa.

Sob ordem do Partido Comunista, mais de 1.200 templos cristãos foram atacados e tiveram suas cruzes removidas na província de Zhejiang, que tem a maior população cristã no estado oficialmente ateu.

Muitos dos que tentaram impedir o cumprimento das ações do governo foram detidos. Um pastor bem conhecido, Gu Yuese, só foi liberado recentemente, depois de ter sido preso em janeiro, por criticar a campanha de remoção das cruzes.

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido reconhece que as igrejas domésticas da China têm enfrentado uma “pressão constante” do Partido Comunista, em um relatório oficial.

Fonte: JM Notícias

terça-feira, 26 de julho de 2016

Partida da Missionária Agnes Haik deste mundo para a glória


Comunicamos a todos o falecimento da missionária Agnes Haik que atuou fortemente em nossas igrejas no estado do Rio Grande do Norte. Ministrou diversas aulas no seminário e teve obra decisiva na fudação de Igreja Batista Regular do Conjunto Santa Catarina na Zona Norte de Natal.

A querida irmã Agnes Haik, que trabalhou como missionária aqui por muitos anos, amando nosso país mais do que muitos de nós conseguimos amar, partiu para estar com o Senhor. Descansou de suas lutas terrenas. Mesmo assim, é estranho quando penso que não mais ouviremos sua voz forte e sua risada contagiante. A última vez em que esteve conosco num congresso da AFEBARN, ela ressaltou várias vezes o seu amor pelo Brasil, e o seu sentimento de que não mais poderia vor outra vez aqui. Agora está bem, incomparavelmente melhor que todos nós. Lembro de alguns dos seus bons conselhos, que levarei sempre comigo.
(Miriam Jacome)

Partida da Missionária Agnes Kaik deste mundo para a glória


Comunicamos a todos o falecimento da missionária Agnes Kaik que atuou fortemente em nossas igrejas no estado do Rio Grande do Norte. Ministrou diversas aulas no seminário e teve obra decisiva na fudação de Igreja Batista Regular do Conjunto Santa Catarina na Zona Norte de Natal.

A querida irmã Agnes Haik, que trabalhou como missionária aqui por muitos anos, amando nosso país mais do que muitos de nós conseguimos amar, partiu para estar com o Senhor. Descansou de suas lutas terrenas. Mesmo assim, é estranho quando penso que não mais ouviremos sua voz forte e sua risada contagiante. A última vez em que esteve conosco num congresso da AFEBARN, ela ressaltou várias vezes o seu amor pelo Brasil, e o seu sentimento de que não mais poderia vor outra vez aqui. Agora está bem, incomparavelmente melhor que todos nós. Lembro de alguns dos seus bons conselhos, que levarei sempre comigo.
(Miriam Jacome)

Rev. Augustus Nicodemus e esposa sofrem grave acidente



 

O Rev. Augustus Nicodemus e sua esposa sofreram um grave acidente de carro na tarde desta segunda-feira, 25, durante uma viagem que faziam para a cidade de Santa Maria(RS). O pastor iria pregar no evento da Igreja Presbiteriana de Santa Maria, pastoreada pelo pastor Ronaldo Vasconcelos que é genro do Rev. Augustus Nicodemos.

Segundo as primeiras informações, apesar da gravidade do acidente, o Rev. Augustus Nicodemus está bem, teve apenas alguns ferimentos leves, já sua esposa Hendrika Hermina Schalkwijk Lopes teve duas costelas fraturadas e está com alguns ferimentos. O carro que o casal viajava teve perda total.

Nas redes sociais muitos agradeceram a Deus pelo livramento dado e pela vida do casal de pastores. Nicodemus é pastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia, vice-presidente da IPB e presidente da Junta de Educacao Teologica da IPB.

O acidente


De acordo com o blog de notícias locais BerimbauNotícias, o acidente aconteceu por volta das 14h30 desta segunda (25), quando um veículo gol, modelo quadrado com placas de Borrazópolis, conduzido pelo senhor Denílson da Silva, voltava de Faxinal. 


A três quilômetros de Borrazópolis, no trevo da PR-170 que dá saída para Novo Itacolomi, um Classic, veículo do pastor Nicodemus que era conduzido pela sua esposa, cruzou a preferencial, provocando a batida. O impacto foi tão forte, que o Classic tombou na via e ficou com uma das laterais completamente destruída.

Fonte: JM Notícia

Morre o teólogo Tim LaHaye, autor do livro "Deixados para Trás"


Morreu na manhã desta segunda-feira, o autor, pastor e escritor Tim LaHaye vítima de um acidente vascular cerebral. Lahaye tinha de 90 anos de idade.

Sua família anunciou a notícia de sua morte em um hospital de San Diego em sua página no Facebook.

Seu trabalho como escritor foi o que o destacou em todo o mundo, são mais de 60 títulos publicados.

LaHaye era mais conhecido por ser co-autor da série de livros “Deixados para trás”.

A série de livros Left Behind (Deixados Para Trás) de autoria de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins, é uma obra ficcional, de temática religiosa, que narra os últimos dias na Terra após o arrebatamento da igreja. A série de livros vendeu mais de 70 milhões de exemplares e foi publicada em mais de 34 idiomas, além de ter duas versões cinematográficas.

“Ele está no lugar onde ele sempre quis estar, sua partida deixa um vazio na minha alma”, disse Jerry B. Jenkins, co-autor do livro "Deixados Para Trás". “O Tim LaHaye que eu conhecia tinha um coração de pastor e viveu para compartilhar sua fé”, completou.

Biografia

Nasceu em 27 de abril de 1926, em Detroit, Michigan. Co-autor da série “Deixados para trás”, é fundador e presidente do Ministério Tim LaHaye e do PreTrib Research Center (Centro de Pesquisas Pré-tribulacionistas).

Por 25 anos, LaHaye pastoreou uma das maiores igrejas dos EUA em San Diego, na Califórnia. LaHaye escreveu mais de 45 livros sobre uma grande variedade de assuntos, como a vida em família, temperamentos e profecias bíblicas.

LaHaye foi apontado pelo periódico Evangelical Studies Bulletin como o líder cristão mais influente dos últimos 25 anos. LaHaye era casado com Beverly LaHaye desde 1947, e deixou quatro filhos: Linda, Larry, Lee e Lori.

Fonte: JM Notícia com informações do portal CharismaNews
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...