segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Brasileiros da A SCIENTIFIC DISSENT FROM DARWINISM


A famosa lista de cientistas dissidentes da teoria darwinista que diz:


 

"Nós somos céticos das afirmações da capacidade da mutação aleatória e da seleção natural explicarem a complexidade da vida. Um exame cuidadoso da evidência a favor da teoria darwinista deve ser encorajado."

 

Conta com a assinatura de 5 brasileiros:


 

Marcos N. Eberlin, Professor, The State University of Campinas, Member of Brazilian Academy of Science (UNICAMP) – Currículo Lattes (CNPQ)

Marcos Nogueira Eberlin

Graduação (1982), mestrado (1984) e doutorado (1988) em Química pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP e pós-doutorado no Laboratório Aston de Espectrometria de Massas da Universidade de Purdue, USA (1989-1991). Atualmente é professor titular MS-6 da Universidade Estadual de Campinas, na qual coordena o Laboratório ThoMSon de Espectrometria de Massas (http://thomson.iqm.unicamp.br). É membro da Acadêmia Brasileira de Ciências (2002) e comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico (2005). É presidente (2009) da Sociedade Internacional de Espectrometria de Massas (IMSF) e vice-presidente da Sociedade Brasileira (BrMASS). Orientou vários mestres, doutores e pós-doutores e seu grupo de pesquisa conta hoje com cerca de 35 pesquisadores. Já publicou cerca de 350 artigos científicos (2009) com mais de 4000 citações em áreas diversas da Química e Bioquímica, e Ciências dos Alimentos, Farmaceutica e dos Materiais.

 

Magda Narciso Leite, Professor, College of Pharmacy & Biochemistry Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Currículo Lattes (CNPQ)

Magda Narciso Leite

Graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1988) , mestrado em Química pela Universidade Federal de Minas Gerais (1993) e doutorado em Química pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995) . Atualmente é Professor adjunto III da Faculdade de Farmácia e Bioquímica. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química Orgânica. Atuando principalmente nos seguintes temas: acoplamento cruzado, carbamatos.

 

Karl Heinz Kienitz, Professor, Department of Systems & Control, Instituto Technologico de Aeronautica (ITA) – Currículo Lattes (CNPQ)

Karl Heinz Kienitz
Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2

Karl Heinz Kienitz concluiu o doutorado em Engenharia Elétrica na Eidgenössische Technische Hochschule Zürich (ETHZ), Suíça, em 1990. Atualmente é Professor Associado e Coordenador do Curso de Graduação em Engenharia Eletrônica do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Foi bolsista da Fundação Humboldt e pesquisador visitante do Centro Aeroespacial Alemão (DLR) em 1996/7 e 2004/5. Publicou mais de 20 artigos em periódicos especializados e mais de 90 trabalhos em eventos. Possui 1 livro publicado na área de Circuitos Elétricos. Orientou/co-orientou mais de 20 dissertações de mestrado e 4 teses de doutorado, além de ter orientado trabalhos de iniciação científica e trabalhos de conclusão de curso nas áreas de Engenharia Elétrica e Engenharia Aeroespacial. Atua nas áreas de Engenharia Elétrica e Engenharia Aeroespacial, com ênfase em Sistemas e Controle. Em suas atividades profissionais interagiu com mais de 70 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica e tecnológica são: controle robusto, controle nebuloso, controle aeronáutico, projeto de controle, sistemas de controle, inteligência artificial, controle aeroespacial e CACSD.

 

Alexandre S. Soares, Ph.D. Mathematics, Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ) – Currículo Lattes (CNPQ)

Alexandre de Souza Soares

Graduação em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999), mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2001) e doutorado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é Professor do Magistério Superior do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca. Tem experiência na área de Matemática , com ênfase em Geometria e Topologia. Atuando principalmente nos seguintes temas: Geometria Diferencial, Superfícies de Curvatura Média Constante.

 
Luis Paulo Franco de Barros, D.Sc. Mechanical Engineering, Pontificia Universidade Católica (PUC) – Currículo Lattes (CNPQ)

Luís Paulo Franco de Barros

Graduação em Engenharia Mecânica pela PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATOLICA DO RIO DE JANEIRO (1995) , mestrado em Engenharia Mecânica pela PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATOLICA DO RIO DE JANEIRO (1998) e doutorado em Engenharia Mecânica pela PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATOLICA DO RIO DE JANEIRO (2002) . Atuando principalmente nos seguintes temas: piezoeletricidade, compósitos, ondas guiadas, monitoração.

 

Para assinar a declaração, o signatário deve ter o grau de Ph. D. numa área científica como a biologia, química, matemática, engenharia, ciência da computação, ou uma das outras ciências naturais; ou devem ser médicos e atuarem como professor de medicina.


 

Parabenizo-os pela coragem!


 

6 comentários:

Anônimo disse...

que estranho... nenhum biólogo!

Addson disse...

Na lista original (inglês) há muitos deles entre PHDs, professores e correlatos.

Addson disse...

Nobody? Or! now 128 biologists. They dont "conduct research that would directly address the question of what shaped the history of life." All we Fallacy ad hominem. I, we and you expected this.

Anônimo disse...

Isso deve representar o que, 0,0001% dos biólogos? Que impacto!

E voce realmente acha que um guarda florestal (apenas um exemplo da lista) é competente para dar sua opinião nessa questão? Não mais do que um geneticista é para apagar incêndios florestais.

Favor postar os links para os laboratórios destes 128, vamos ver suas áreas de especialidade. Aliás, boa sorte, a maioria não é afiliado às instituições que constam na lista e muito menos tem um laboratório.

A propósito, porque o inglês?

Anônimo disse...

Então logo se deduz que a evolução só pode ser compreendida à luz de alguns experts, se não for biólogo e pequisador, ela é totalmente ininteligível. Curioso fiasco.

Anônimo disse...

É mesmo surpreendente que conhecimento técnico requer estudo para ser compreendido? Felizmente, existem experts com a preocupação em disponibilizar conhecimento científicos aos interessados. Basta curiosidade, um pouquinho de interesse e claro, honestidade intelectual. A esses, recomendo Stephan J. Gould, Jerry Coyne, Douglas Futuyma (seu livro didático "Evolução" traz um capítulo tratando das evidências). Há inclusive um periódico científico gratuito exclusivamente dedicado à difusão deste conhecimento http://www.springer.com/life+sciences/evolutionary+%26+developmental+biology/journal/12052

Além é claro de sites como http://www.talkorigins.org/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...